Sobre meu ser...

"Quando lhe faltar razão, que enfim fale o coração".
(Hélio Flanders)

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

-

Eu te penso
Em todo o final
do dia, 
do mês,
do ano.



terça-feira, 25 de dezembro de 2012

-

Mas talvez também nem seja amor
Vai ver é muito apego
Ao que tu provoca em mim.



segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

-

Te amei de véspera e no primeiro olhar a novidade já era uma velha conhecida dos meus sonhos. Te invento, te escrevo e assim sigo te amando.



domingo, 23 de dezembro de 2012

3 anos...

23.12.12



Palavras nunca antes pronunciadas com dedicatórias que não chegam ao fim ... mantendo o olhar fixo, mantendo o foco em uma pessoa, mas enfim a vida é assim. Cansei de contar os pontos finais dessa história, vez ou outra ela ganha um capítulo novo, porém o enredo continua intacto. Eu aqui e você aí no teu planeta, na tua vida da qual eu nunca ponho meus pés.
Mas você me visita e me lê, percebe todo o meu Olhar Particular.







quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

-

E todos esses anos de saudade, de textos e telefonemas sem retorno caberiam muito bem em uma única frase: VAMOS VOLTAR.






-


Há essa altura já nem sei diferenciar o que é melhor ou o que é pior, sou imune a todas as coisas.



-

Véspera do fim do mundo e a minha vontade é de sair correndo pra me abrigar nos teus braços.








sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

-

Passou vários dias ensaiando, falando sozinha, e olho por olho só diria.

- Não quero nada que não venha de nós dois*.






*Ouvir: Só pra te mostrar - Herbert Vianna.

-

Hoje eu te vi no vapor do meu café da tarde
Lembrei que é de você 
Por quem eu vivo nessa saudade.



quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

-

Mas, hey mãe por mais que a gente cresça 
Há sempre alguma coisa que a gente 
Não consegue entender
(...)

Humberto Gessinger


terça-feira, 11 de dezembro de 2012

De todo Dezembro.

Penso, numa vacina contra meus devaneios de fim de ano, seria interessante caso estivesse disponível na medicina, é nessas horas que eu penso porque eu não fui ser médica meu Deus? Passei os dez primeiros dias Dezembro na melhor vibe “de boa na lagoa’’ que vocês possam imaginar, eis que se passou a primeira semana e essa é a fatal.
Fui baixando discos no último domingo, procurando naquelas letras sentimentos meus perdidos durante esse ano, ao fim dos downloads tinha uma trilha pra apreciar de olhos fechados e alguns lenços na mão, que a vida tá indo feito um sopro leve que não vai a lugar algum, permanece enraizados na nostalgia dos dias e de todo o efeito festivo que a temporada me sugere, de me atingir contraditoriamente - QUERO TUDO O QUE NÃO TENHO.
Visto tédio, escuto reclamações, meu silêncio grita tanta besteira sem importância, e eu não movo nenhuma palha, da preguiça de levantar da cama mesmo sem ter conseguido pregar o olho durante a noite, vou acumulando poeira, uns amigos novos da conta do facebook, e o desejo de sair correndo pra qualquer lugar sem ter um destino em mente.




A trilha de 12/2012.

"Navios dizem recomeço
Do mar ninguém chegou ao fim
Eu vou deixar seu nome imergir" ....





quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A minha Regra da Física da Procura*

Olhe pros lados, mantenha o foco e não deixe nada passar despercebido, pense nas possibilidades, mas não gaste anos da sua vida ainda pensando, as coisas passam e se renovam muito rápido, perder o bonde está fora de cogitação. 




*Do livro Comer, Rezar e Amar - Elizabeth Gilbert.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

-

Vida que segue
ela me sugere
dias melhores
(...)
 
 


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Pra mãe


Sinto saudade do teu colo, dos teus conselhos, das manhãs onde o resto do dia era incerto e a gente só tinha olhos pro dia seguinte, pros próximos anos, fazendo pensamento positivo, lendo trecho de algum livro, música, que parecia ter descrito nossos sentimentos.
Dos segredos contados uma pra outra debaixo dos bambús, do teu medo quando eu dizia que pressenti que alguma coisa ia acontecer, tu se assustava e pedia pra eu parar, que eu rezasse pra me afastar de todo o mal.
Pra qualquer coisa a cura é o nosso plano de fuga... Barcelona, Buenos Aires, Londres, Japão ou Recife.

Me pariu e disse que eu vou ser escritora, se ela diz não posso discordar.
A inspiração: Jôziane.


Calendário


O final do ano se aproximando, como de costume já comecei a fazer contabilidade de todos os acontecimentos do tal ano apocalíptico. Tenho um dez monográfico, conclusão da graduação, e uns poucos amigos novos. Confesso fiz uma lista de metas, o planejamento multiplicou as minhas expectativas em mil, me serviu pra me frustrar e carimbar com um selo mediano de qualidade o 2012.
Completei metade da lista, só não sei se me orgulho de ter realizado uma parte ou sento enrugo a testa de irritação por não ter sido ninja de ter feito tudo o que eu mesma me propus a fazer e ter, os que dependiam somente de mim obtive êxito, mas aí está o calcanhar de Aquiles da questão: nem tudo depende única e exclusivamente só de mim. Me dá nos nervos, quebro minha cabeça tentando ser o mais independente possível dos outros e volto pro mesmo lugar, eu vou sempre precisar de alguém, mamãe me fala isso, minha irmã me fala isso, todo mundo me fala isso.
Por um ano com apenas dez meses, teremos menos dias pra contar nossos erros e acertos.


sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Em um único tom

Ontem eu fiz o que faço de costume ultimamente, do computador pra rede e vice versa uma rotina excruciante eu sei, mas é o que temos até Deus sabe quando. Escrevi um pouco e depois de ler o texto adicionei-o a lista de impublicáveis nesse blog a tag #saudade aparecia diversas vezes.
Não é segredo o fato da saudade, me assusto ainda com a velha novidade. O tempo operou umas poucas mudanças e a parte nova de mim ainda cultua coisas velhas.
O agora não vai interferir quem eu vou ser no futuro, só não sei explicar porque deixo o passado conectado 24h no meu presente, esse presente sem fita e sem embrulho em que você simplesmente não existe e mesmo assim tem o seu lugar.
 
 

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

-


A chuva foi rápida, mas o pingos leves que caíram do céu como pequenos pedaços me deixou pensativa, comparo os pequenos pedaços vindos do céu com caquinhos meus... Juntar as peças de mim e colar é um artesanato irrealizável, elas se perderam nos dias, meses e anos. Lembrar se tornou uma dor, mas não é saudade, na minha história aqueles dias fazem parte das páginas pretas, censurado, proibido.
Dezembro já está na soleira da porta pra entrar, dou um respiro bem profundo, menos um, mais um, acaba logo com isso que eu estou sufocando e não aguento mais.

Do Amor


Nunca mais a palavra saiu dos meus lábios, não só a palavra vai além da questão é a falta do sentimento dentro da minha vida, um alguém que ainda não chegou vai trazer esse amor embrulhado pra presente, mesmo que não seja para sempre, desde que eu possa desfrutá-lo durante algum tempo – pelo menos.

Arrebatador ou não, construído aos poucos ou não, de uma hora pra outra ou não, de surpresa ou não, estilo roteiro de filme ou não, perfeito ou não.  Contanto que apareça.


domingo, 28 de outubro de 2012

-

Acaso
Ao caso
Dois casos
No meu caso
Só caso contigo.



-


Onde você está não pega o radar, a fonte que vai te trazer notícias minhas. Você me esqueceu. Meu novo endereço é nesse teu vil esquecimento.


-

Todas as noites o mesmo sonho se repete, deitar na cama se equipara ao costume de acompanhar a novela das 21h. Fecho os olhos pra ver o próximo capítulo. Vejo letras em neon. Estrelando você e eu.


domingo, 14 de outubro de 2012

Recadinho do coração


As palavras acumuladas que não foram ditas sempre incomodam, quem não ouviu e mais ainda quem não as disse, tomei o papel de vilã pra mim, o da politicamente incorreta, a errada, mesmo eu preferindo o da louca que é muito mais a minha cara.
O pensamento de agora tem muito mais a ver com o que eu sinto hoje, e eu nem estou querendo fazer piadinha com a cara de ninguém, as ações que eu pratico não é com segunda intenção como de praxe, como todo mundo espera que seja, só posso dizer sinto muito, pois você está terrivelmente enganado, pra quê esperar o melhor de mim? Devo ter nascido com vocação pra idiota, apenas.
Revi a situação, que o aprendizado ali proporcionado já me dava embasamento suficiente pra voltar atrás e corrigir o erro, eis que o caso perdido é mais perdido do que se pensava, e tentar extrair o mínimo possível de “algo bom” onde não tem, é uma missão fracassada antes mesmo de começar.



Segredo


Na iminência do fim do mundo, gastei a minha suposta última hora de vida, querendo que a vida tivesse me dado coisas melhores, não que as que eu tenho sejam ruins, elas são maravilhosas, mas sempre me faltou alguma coisa...
A TUA CONSIDERAÇÃO.

-


...
Pausa dramática
As vozes se silenciaram
E  a voz de dentro não tem mais força
Já não diz nenhuma palavra
Xiiiiiiiiiiiiiii
Deixo a tarefa pro pensamento
Nele teu nome aparece milhões de vezes.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

-

Eu sempre quis saber mais daquele suposto menino. Aquele olhar de quem guarda dentro dos olhos um labirinto. E eu, eu só queria entrar. Que fosse por qualquer fresta... Escuto histórias de alguém que eu não conheço. Imaginando o que a cabeça quiser criar.
 

domingo, 16 de setembro de 2012

-


Engolia melões,
Engolia todo dia
Sua dose diária
De melancolia.


domingo, 9 de setembro de 2012

Um dia desses os versos vão ter título com nome e sobrenome.



-

Eu preciso sim de todo cuidado*

Tira o casaco do armário, o calafrio esfriou o corpo inteiro, enquanto lá fora o clima é de verão. O sopro gelado vem de dentro, de um solo chamado coração, ele é jovem apesar de já um pouco gasto pelo tempo, são muitos os esforços para que não entre em processo de envelhecimento precoce.
Chão do quarto, olhos abertos em estado de alerta, depois de tudo se poupar parece ser a melhor solução, a idade não vai aguentar mais um salto no escuro, hoje até o raciocínio quer fazer a cabeça pensar em espanhol, mais horas que o de costume na posição horizontal, produzindo vários pensamentos por segundo, inventando preocupações e distraindo qualquer sentimento.


*Ouvir: O Velho e o Moço - Los Hermanos

sábado, 8 de setembro de 2012

-

Tu devia se revelar pra mim do jeito que me encontro agora, de cara lavada, com meu penteado rabo de cavalo, com esse ar de agonia. Essa sim sou eu. Aquela garota alegre, bem maquiada, que dança ao som de qualquer batucada só aparece em festas, comemorações, sempre com um copo não mão, de não dar muita bola pra nada...
 
 

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

-


Tu estampa no rosto um ar de vida fácil, de nunca se estressar nem se abalar com nada, essa calma consegue me tirar do sério, tem a cara de não fazer nada as coisas vão cair no teu colo como sempre, não é preciso tomar o rumo do desespero, se arriscar pra quê? A tua armadura real não merece tamanho empenho, tem muita coisa já ganha sem o menor esforço.
A minha leitura de gente anda meio enferrujada, acerto em cheio na interpretação ou erro feio, nesse caso eu prefiro de verdade o caminho do meio, mesmo que as projeções feitas da sua pessoa passem da medida, mas confesso é divertido o hábito. 




segunda-feira, 13 de agosto de 2012


Tem que correr...
Correr todo dia
Com vontade
Correr de todas adversidades.






-

Nós dois é a história que nem se eu quisesse conseguiria ler de novo, porque o enredo ficou velho, cheio de teias de aranha. Eu olho pro livro e a capa não me agrada mais, nada nele é capaz de prender minha atenção, virou peça de enfeite na estante, mas está lá no meio dos outros livros, esperando a oportunidade de ser aberto a qualquer momento.
Tem muitas notas de rodapé, trechos grifados na cor vermelho sangue nas partes importantes que é pra não esquecer de nada, pois tem muitos detalhes que eu preciso manter vivos na memória.
Os comentários da obra anti-poética, sem final feliz, dos pontos finais disfarçados de reticências do livro feito a mão. Qualquer dia faço uma fogueira e queimo o único exemplar, quando já estiver em forma de cinzas deixo o vento levar pra bem longe todos os vestígios... da história que eu nunca mais quero ler.


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

-

A hora do dia mais tensa pra mim sempre foi a noite, pois na maioria das vezes não consigo pregar o olho, ultimamente não tenho me revirado tanto durante "as reflexões de travesseiro", agora o sono tem toques de leveza.
Sabe-como-eu-descobri-que-te-esqueci-fui-me-deitar-e-não-pensei-mais-em-ti.


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pronta pra mais uma conta


O título é um trocadilho barato e sem graça, é bem como me sinto perto do meu aniversário que será daqui alguns dias, não guardo as lembranças mais bonitas do meu aniversário, a maioria deles foram em dias que meu humor estava péssimo, mas até que esse ano eu estou levando as vibrações da data numa boa, se compararmos aos anos anteriores.
Não sei dizer detalhadamente como estou, as coisas andam bem mais ou menos pro meu lado, nada acontece, não estou triste, mas também não estou explodindo de alegria, venho mantendo um estado de equilíbrio que é de dar dó. Ainda sim está estranho.
Nessa minha mania de que por trás de cada frase tem uma mensagem subliminar, que algo espetacular vai acontecer pra mudar tudo, que vai pegar todo mundo de surpresa inclusive a mim, pra depois eu sair falando que sabia que estava sentindo que alguma coisa iria acontecer, é muito bom dizer isso.
Pelo andar dessa carroça dia 04 eu vou receber os mesmos abraços, aquele desejo de felicidade via facebook com os mesmo caracteres do ano passado – coisa que eu não me importo o que vale é a intenção de quem escreveu e os desejos isso sim é importante, sem falar nas ligações, sms...
Mas o que sempre ganhar em disparado a minha comoção será aquele parabéns que não virá, mesmo eu não perdendo as esperanças até às 23h59min.

P.S: Farei duas décadas e o tempo de intervalo entre copas do mundo, olha que nem precisa ser bom de conta pra acertar essa.

sábado, 21 de julho de 2012

Achando...


Acho que eu quero ter um filho, ele/ela não terá a letra Y em seu nome, já basta os traumas que eu acumulei ao longa da vida  por causa da bendita letra.
Acho que eu quero me casar, pra construirmos uma casinha na frente da praia, e quando nós dois estivermos bem velhinhos, vamos estar sentados na cadeira de balanço vendo as ondas se formar.
Acho que eu quero realizar o sonho da minha mãe e fazer medicina
Acho que eu quero ser bem menos reclamona.
Acho que eu quero só aceitar o que a vida me oferece sem fazer nenhum um biquinho em discordância.
Mas hoje eu quero um emprego que já tá de bom tamanho.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

-

Você usa de coragem, estufa o peito pra dizer que não retira nenhuma vírgula de cada pensamento que ousou pensar, sustenta o peso de cada consequência que pode trazer. Se compromete tanto dado um determinado momento uma teia foi feita sem perceber, intermináveis nós que só de olhá-los vai dando preguiça de desfazer.

Preguiça é a palavra que se encaixa, ou qualquer outro adjetivo que remete a desânimo, acumulando quilos de vibrações ruins, deixa pra depois, deixa pro tempo descarregar aquele caminhão de entulho sobre tudo, pensei em lixo – a coisa velha e incomodo que isso se transformou.

Ida sem vinda, adeus sem tchau, sai da minha vida sem você nunca sequer ter entrado nela.


sábado, 16 de junho de 2012

12.06.06

Hoje é o dia que o amor prevalece
Vejo casais apaixonados
Pessoas exaltando a felicidade
Por estarem juntas
E eu continuo só
Oh! Deus não quero sofrer
Por alguém que não me quer
É ruim sentir a dor de amar
De um amor não correspondido
E que ao me apaixonar
Esse seja o homem certo
Que me faça pra sempre feliz
Seja tudo formidável
Como nos contos melancólicos
Que tudo isso se torne realidade
E não faça apenas parte dos meus sonhos
Do mais lindo sonho de amor
Que seja um guerreiro
Que me salve da prisão
Das grades desta escuridão
Estou com medo
Sem ter os pés no chão
Vivendo na imundice de uma temporária ilusão
Sei que um dia vou encontrar
Não sei a hora, nem o lugar.




Por: Ilrianny Alves/ Thaís Alencar


quinta-feira, 7 de junho de 2012

É uma boa?

Acho que atingi o ápice da minha loucura, devo ter fantasiado aquilo que eu queria que fosse verdade, e foi? Não foi? De repente o “estar” disponível mexeu comigo, mesmo eu não sabendo lidar, meio sem forças pra lutar, muitos “se” na minha cabeça, sem ter por onde começar.

Mas serviu pra alguma coisa... Vista pros meus olhos e nada mais. Como tudo mudou em questões de dias e do mesmo jeito voltou a sua normalidade, a minha alegria besta mal teve tempo de tirar as roupas da mala, num estalar de dedos se refez e foi embora.

E eu fiquei gritando bem alto VOLTA AQUIIIIIIIIIII.


P.S: O título não tem nada a ver com a postagem, só coloquei essa frase por - necessidade de preencher qualquer coisa que esteja em branco nesse momento. Ao menos isso eu posso decidir completar, ou não.


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Não sei nada, de você.

Não sei a cor dos teus olhos
Não sei o tom da sua voz
Não sei o cheiro que tu tem
Não saberia te reconhecer no escuro
Não saberia nem mesmo reconhecer teus gostos

Porque eu não sei nada de você
Mas eu gostaria de saber

Saber o que te faz feliz
Saber a tua cor favorita
Saber qual é o maior sonho da sua vida
Saber o que você detesta
Saber o que mais te agrada

Mas eu não sei nada de você
E eu daria tudo pra saber

Te conhecer de perto
Te conhecer direito
Sem esquecer nenhum detalhe
Qualquer hora dessas eu bato na porta do teu mundo
Vou te pedir pra entrar

Espero que você me deixe ficar.

domingo, 27 de maio de 2012

Releitura

Passear por boas lembranças é um hábito que venho aprendendo nos últimos tempos, porque o meu bom humor vem se sobressaindo aos estresses do cotidiano.

Aquela notícia que descobri por métodos não convencionais, tão a minha cara, me deu vontade de fazer algo a respeito, entrar nessa e assumir pra mim mesma que eu quero muito mais, se tu me toca no meu ponto mais delicado, eu não quero ficar pensando muito e nem tentar as previsões do dia de amanhã.

Vou vivendo com os riscos de sempre, e aonde isso vai dar eu não quero nem saber.



sexta-feira, 11 de maio de 2012

Despretensiosa

Me sinto despretensiosa, me sinto idiota mesmo.

Eu leio uma dúzia de blogs, incontáveis livros, enquanto algumas pessoas me elogiam pelos textos aqui postados, comentam aqui e ali, do que me aconteceu da minha maneira de registrar esses momentos em linhas, pra ficar guardado no blog, pra ler depois. Gosto de escrever, no meu sonho mais insano já até imaginei alguma coisa publicada, eu vejo que tem gente que coloca sua fé em mim, e eu fico tão sem jeito, me sinto responsável por manter essa expectativa viva, mas não estou fazendo nada de concreto pra corresponder à altura aquilo que todos esperam.

Tenho um problema sério com autoestima, porque eu nunca a tive de verdade, só uns ensaios em dias felizes quando as coisas parecem dar certo demais pro meu gosto, é muita coisa pra fazer que não dou conta de me concentrar numa coisa só e seguir. O que envolve também essa falta de planos que eu tenho, por exemplo, agora estou tentando terminar meu TCC o foco até Julho vai ser esse, volta e meio me atrapalho nisso também.

Às vezes uso de um rigor elevado para comigo mesma, eu fico com a impressão de que eu podia ter me dado mais, que o meu melhor ainda não é o suficiente pra as coisas saírem de um jeito mais próximo da perfeição.

Vocês podem não ter reparado ainda, mas a bagunça do layout desse blog, diz muito sobre mim, fica a dica.


“Pensar além do bem do mal, lembrar de coisas que ninguém viu, o mundo lá sempre a rodar em cima dele tudo vale... pensei no tempo e era tempo demais.”

(Milton Nascimento)

sábado, 5 de maio de 2012

-

O que eu fiz até agora?

Nunca senti tanta necessidade de “planejamento”, de traçar metas, mas estou percebendo que sem isso, as coisas não deram lá tão certo quanto eu imaginava.

Sempre foi muito mais o meu estilo ir me comportando de acordo com os acontecimentos, eu fui me encaixando ao máximo, quando eu podia ter feito o contrário, um atalho não seria nada mal.

Essa eterna comparação do rumo que eu tomei, com o que eu podia ter tomado, me faz ficar desanimada, eu gosto de terminar qualquer coisa da qual eu me proponha a fazer, mesmo que depois não me sirva de quase nada, e eu não sei porque nas horas mais esdruxulas aquela matriz que você esqueceu de solucionar no para casa do professor de matemática vai te fazer falta, entenderam? É disso que eu estou falando.

Já disse que futuramente vou virar budista... pois é.


quinta-feira, 26 de abril de 2012

Abriu.

Eu não sei mais escrever...
A falta de postagens é por esse motivo, por todos eles e os que não serve como desculpa pra ausência de palavras, diante dos últimos acontecimentos estou me sentindo estranhamente bem, porque como eu sofro por antecipação quando a hora chega já sofri por tudo antes, eu fico forte, me surpreendo comigo toda orgulhosa -  aguentei mais essa.
Percebi que não consigo mais me estabelecer no sofrimento, só na hora é mais aceitável.
As notas de um solo de piano que eu escuto nesse momento vão me dando essa clareza, não tenho motivos, não amo mais ninguém, não sei mais escrever.
Porque eu não tenho mais sentimento pra pôr pra fora.
Está explicado! 

quinta-feira, 12 de abril de 2012

E se, Ter te.

É sério que eu caí nessa? Que cada armadilha foi milimetricamente pensada, que todos os acontecimentos anteriores me foram levados até aquele momento.

E se eu tivesse desistido do curso, se eu tivesse abandonado a matéria, se eu me sentasse na frente, se eu gostasse de forró e afins, se eu não tivesse ido com a tua cara de primeira.

A história teria sido completamente diferente.

Eu deveria ter te achado estranho, ter te achado um chato, ter achado que você fala besteira, ter achado tão nada a ver comigo, ter achado que somos muito, muito, muito, diferentes.

A história teria um final feliz.


terça-feira, 10 de abril de 2012

Da nossa última...

Um cara com nome de anjo, uma infância paralela, números trocados por engano.
Que tu já me pôs no colo um dia, mas não lembro pela pouca idade pra discernir os fatos, ligar pra um número do qual não era o destino foi a melhor coisa que já aconteceu, posso atribuir ao fato – a melhor coisa que já me aconteceu na década passada.
A voz já era conhecida e eu preferi aderir a incredulidade da coincidência que por um mês foi feliz, a gente se conheceu de conversa, de gosto, de muito papo furado pra gastar nas noites de dezembro e janeiro, de ansiedade pra arrancar o que podíamos nos oferecer um ao outro, fomos amigos, amizade pintada, não amizade colorida com intenções de evolução pra romance, na minha adolescência conturbada e na tua recém chegada a idade adulta nunca pareceu ser problema pra nos darmos bem enquanto amigos.
Eu lembro desse tempo bem pouco hoje, mas o “acontecimento do ano” ativou as minhas memórias adormecidas, daquelas que a gente esconde e finge não existir e em horas como essa aparecem, pra perceber que tudo sempre esteve lá – guardado com correntes, cadeados, que toda essa proteção não serviu absolutamente de nada. Me sinto revirando escombros.
Ter notícias suas aqui ou ali jamais me fizeram mal, talvez porque fosse confortável pra mim saber que ele ainda estava no mesmo endereço, fazendo as mesmas coisas, convivendo com as pessoas de sempre, quase intacto, feito aquele tempo.
Mesmo que a sua participação já tenha se encerrado na minha vida, eu me permiti de verdade me abalar, porque apesar dos pesares ele foi importante e em nome dessa importância que eu depositei saco dessa conta todo o constrangimento de enxergá-lo com outros olhos, anel na mão esquerda, a benção do padre, a tua cara de felicidade no altar.
Desse devaneio eu passo, e te desejo: A felicidade.


quinta-feira, 29 de março de 2012

Dizem

Dizem que o teu romance de quinta é passageiro
Dizem que o teu romance de quinta não é verdadeiro
Dizem que o teu romance de quinta já vai chegar ao fim
Mas eu só vejo que o teu romance de quinta a cada dia fica mais firme e forte.




quarta-feira, 21 de março de 2012

O primeiro do último

Sempre soube que não seria fácil e nem gostaria que assim fosse, eu não sei todas as coisas, tem sempre alguma coisa importante que eu ainda não sei, se aparento um jeito meio dispersa quase em estado de relaxamento é quando estou mais encanada com tudo, puramente contraditória, até funciono no esporro mas não gosto nem um pouco.

A vida vai se resumir a caixa de e-mails aberta, por que não dá pra perder um minuto, ter que manter o foco, de não poder nem piscar o olho pra que nada passe despercebido. Um e-mail novo e um objetivo com quatro anos de validade, tu vai ser formar que não quer dizer que está inteiramente preparada.

De susto, supetão pra ficar atenta, pelo menos existe a correção.



sexta-feira, 16 de março de 2012

138'

A dor

Sim ela ainda existe aqui

E eu

Só faço distrair.


Tanta coisa lá fora

Enquanto perco meu tempo

A sua inteira disposição.


Me anestesiei

Não movo mais uma palha

Pra tentar te trazer.


Fui cautelosa

Em medir cada milímetro dos meus passos

Nesse campo minado

Eu perdi vários pedaços.


Incontáveis palavras

Litros de lágrimas

Horas de sono perdido

Amar você se resume a isso.


Tem dias que eu não aguento

Mais pensar.


Ator de quinta

Papel lamentável

Diretor falido

Produção retire ele da minha vida.


Não me pergunte o que pretendo

Escrevendo há tantos dias

O mesmo verso

Sempre fui assim

Meio indecisa.


Resolvida eu

Pros outros sim

Pra mim mesma

Um quebra-cabeça.


Se eu gritar

Vai adiantar?

Talk to me

Talk to me.



-

“ Perdi a hora lamento,

Se tudo pode ser melhor ainda dá tempo”...

(Móveis Coloniais de Acajú)


Quando o dia amanhecer e a vida estiver com tudo em seu devido lugar, me acorde, porque eu não aguento mais dormir e ter sonhos ruins.



terça-feira, 13 de março de 2012

Tome nota II

*Cautela nunca me levou a lugar nenhum.

*Se tu parasse com essa tua pose de pessoa madura e pensasse por um segundo como eu me sinto.

*Que a vida passe e arranque você logo de mim.

*Eu assumo a responsabilidade do risco.


Tome nota

"Quando eu te peço um pouco é porque eu quero tudo que pode me dar
Quando eu te peço pra esquecer é porque eu quero te fazer lembrar de tudo que passou
Quando eu te digo que não penso é porque eu não paro de pensar
Quando eu tento me esconder é porque eu só quero te mostrar o que eu ainda sou"...

(Esteban)



*Tomei a licença de eu mesma me interpretar, ficamos assim, eu dispenso a tua tradução.


terça-feira, 6 de março de 2012

O arco-íris, um gato e o cheiro da chuva

Deja vú, replay, uma cena semelhante sendo vivida. Acabou de ser formar dois arco-íris no céu, rsrs arco-íris gêmeos! Vai ver que o espelho já chegou no céu também, e uma curiosidade se formou: quem inventou o espelho? O vento desmanchando a imagem dos arco-íris, o primeiro que se formou continua vivo embelezando por entre as nuvens carregadas.
Enquanto isso o Julian ergue seu fucinho pra cima como se quisesse farejar o mundo inteiro, descobri-lo através de suas narinas, ele me olha esperando que eu o diga alguma coisa, cante uma música, mais ração no seu pratinho que eu interrompa o que estiver fazendo pra lhe dar atenção, me sento a seu lado e ele de imediato pega no sono, fico uns minutos vigiando o sono mais bonito de se ver.
São 17:12 a lua começa aparecer, sinto o cheiro da chuva que mais tarde vai cair, águas do mês de março, o aroma bom traz a sensação de paz, alívio, sempre fico assim quando sinto esse cheiro, vai ter chuva mais tarde, pra eu me enfiar debaixo das cobertas e esquecer o resto do mundo.




sexta-feira, 2 de março de 2012

Prefiro.

Diante de tudo a única que eu posso desejar com a tua existencia nos meus contatos de uma rede social que serve mais pra entregar as pessoas do que mantê-las ligadas umas as outras, é que tu perceba que eu estou bem e se às vezes traspareço o contrário isso sempre me acompanhou a vida inteira o "dramatismo" e exagero vem do signo.
Querer o que não posso, preferir o que o tempo já levou, hoje eu te prefiro na versão gasparzinho existe mas meus olhos te enxergam quase nunca, não vou mais me vitimizar porque eu vou prolongar os maus bocados se eles já passaram, colocar uma maquiagem a prova d'agua cada vez que as taxas de álcool forem aumentadas no meu corpo quando as lágrimas acumuladas jorrarem do rosto pelos motivos que todo mundo está cansado de saber, já deu né!
Tenho umas cicatrizes mais profundas do que as que coleciono no meu joelho direito hoje eu já até as acho bonitinhas, porém as que são invisíveis milagre nenhum no mundo vai fazer elas se embelezarem, não sei tratar um bando de coisas com a impessoalidade que elas merecem, essa é uma delas.
Ser levada em conta.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Repetitivo

Para - pensa - escreve
Escreve - para - pensa
Pensa - escreve - para
Escreve pra pensar em parar
Para de pensar e escreve
Pensa que escreve pra parar...
... de lembrar.
Muito amor e muito apego só há de te fazer mal.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

313 palavras

Lembra da minha tentativa

Que nada teve de acertiva

Foi a maior burrada

Da minha vida.


Você estranho

Eu delicadeza

Você calado

Eu feita de paciência

Você entendido dos elementos do meu mundo

Eu me derretendo por você como de costume.


Não tem nome mas é lindo

As férias estão acabando e eu pensando...

Quanta saudade de você.


Vai acabar o curso

Vou tomar um rumo

Vou acordar mais cedo

E ir atrás de um emprego.


Puro drama

Ter que acordar e fazer a cama

Que dormiu abrigando um solitário

E eu me perguntando

Quando você estará do meu lado.


Converso com os versos da Martha

É muita afinidade, me sinto íntima

Por isso dispenso o Medeiros

Ela me entende

Deixa contemporâneo meus dramas

Talvez tenha vivido primeiro

Tudo aquilo que estou passando

Leio de novo

Repassando...


Estou farta das guloseimas da tua padaria

Não quero mais provar teus bolos

Nunca mais.


O país é meu umbigo

Se eu estou feliz

Uma parte do mundo ri comigo.


Sempre olho pras mãos

Gosto de mão bonita

Se eu sou assim

Foi mamãe quem me ensinou.


Redoma de vidro

Prisão sem grades

Devo te parabenizar

Teus feitiços deram certo

Você me prendeu.


Na beirada da vida

A gente tem um encontro

Estou cansada de ficar sozinha.


O cd do Beirut

Beira a perfeição

Repito de novo aquela canção... ( A Candle’s Fire – Beirut, 2011)


Lembrei de quando era criança

Tinha detinha toda a atenção do meu pai

Eu era a menina dos seus olhos

Não sou mais menina

E papai não tem mais olhos pra mim

Me vê mas é como se não me enxergasse

Leitor, eu não quis causar comovência

Nós precisamos de mais tempo

Uma dose imensa de paciência.


Amigas,

Fizemos cirandas,

Fizemos rodinhas,

Emendas pela vida,

Inseparáveis até a morte,

Que a gente possa se encontrar

Até do outro lado dessa vida.


sábado, 28 de janeiro de 2012

Interpretação de sinais divinos

Você leva ao pé da letra os sinais divinos? Correção você acredita em sinais divinos?
Eu acredito às vezes, quando os peço, nos momentos de indecisão ou quando eles chegam de surpresa e nos pegam literalmente com as calças nas mãos. Você pode encarar o tal sinal de duas formas: a positiva de que não era pra ser e tentar se conformar, a negativa que foi falta de atitude diante da situação. Tudo muito contraditório.
Daí pra você se sentir a garota de seriado americano está há um passo. Se senta e espera que a vida ponha todos os obstáculos e em seguida você se põe a lamentar que tudo é injusto, vai pra uma balada com um bando de amigas, ou na pior das hipóteses se agarra a uma panela de brigadeiro com uma caixa de lenços do lado, enquanto pensa que tudo podia ter sido diferente...
Sinais vocês podiam ser mais explicativos, vir com uma mensagem que nem os biscoitos da sorte.
Vá atrás do seu biscoito e retire sua mensagem, é o único conselho que eu posso dar.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Palavras alheias II



Lifehouse - Blind (Jason Wade)


Cego
Eu era jovem, mas não era ingênuo
Eu assisti sem poder fazer nada, enqunto você ia embora
Eu ainda tenho a dor que devo carregar
Um passado tão profundo que nem você poderia enterrar se tentasse
Depois de todo esse tempo
Eu nunca pensei que nós estaríamos aqui
Nunca pensei que nós estaríamos aqui
Quando meu amor por você era cego
Mas eu não consegui fazer você ver isto
Não conseguia fazer você ver
Que eu te amei mais do que você jamais vai saber
E uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir
Eu dormia somente na esperança de sonhar
Que tudo seria como antes
Mas noites como essas parecem estar passando lentamente
Elas desaparecem conforme a realidade vem à tona
Eu nunca pensei que nós estaríamos aqui
Nunca pensei que nós estaríamos aqui
Quando o meu amor por você era cego
Mas eu não consegui fazer você ver isto
Não conseguia fazer você ver
Que eu te amei mais do que você jamais vai saber
E uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir
Depois de tudo isto
Você gostaria de partir?
Talvez você não pudesse acreditar
Que meu amor por você era cego
Mas eu não congui fazer você ver isto
Não conseguia fazer você ver
Que eu te amei mais do que você jamais vai saber
E uma parte de mim morreu quando eu deixei você ir.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Idiotismo

Eu estava aqui refletindo sobre o quanto uma pessoa pode ser idiota quando quer, no caso eu que fique bem claro. Sabe eu podia me arrastar aos teus pés, chorar feito um bebê, colocar uma faixa bem grande na porta da tua casa só pra chamar tua atenção que de nada adiantaria.

Você me lê, faz tua própria interpretação e isso me mata, porque às vezes nós só enxergamos aquilo que queremos ver, vendamos nossos olhos. Muita coisa errada, teus erros agregados ao meu idiotismo: combinação fatal. Tentar me distrair ou um milagre divino seja operado em mim pra esquecer o que veio antes me parece uma ótima saída, ressalto é idiotismo permanecer nessa.

Por mais que eu saiba por onde começar, de todos os tutoriais pra me dar bem é o processo mais difícil do qual já passei, porque não consigo começá-lo e imaginar como será seu término fica impossível... a impressão de que não estou fazendo certo nem tentado com todas as forças, posso ser melhor que isso é claro.


sábado, 21 de janeiro de 2012

Me poupe

Eu não consigo me poupar quando se trata de você. Tu desperta um lado meu que não imaginava ter, mas enxergo o quanto isso é errado, investimento sem nenhuma garantia de retorno as chances de tudo ir por água baixo são devastadoras.
Nessa tentativa louca de quebrar a cara outra vez, sei de todos os riscos e quem disse que eu tomo jeito, me reviro num sentimento que nada me traz de bom.
Os conselhos não adiantarão se eu continuar ignorando, preciso me poupar.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Loucura você voltou

As crises voltaram aquelas mesmas de vários sintomas de me deixar sempre a beira de cometer uma loucura. Ontem quase coloquei tudo a perder mais uma vez na ansiedade de falar das coisas que me fazem ser essa pessoa que estou sendo, até então.
Gastei quatro horas do meu tempo te esperando, e quando essas horas passaram percebi o que estava fazendo. Ainda bem que os amigos existem, pra te acalmar e colocar o pé no freio.
Eu dou um valor absurdo a coisas que não deviam significar tanto, é tão difícil olhar pra mim com mais carinho e esquecer o que vejo quando olho pra fora, a visão se colocou em um foco que nada consegue desviar meus olhos, antes fosse só meus olhos vai levando partes de mim, tenho consciência que no final não restará nada, a mutilação vai ter que cessar.
O pior de tudo é que você não se importa.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

-

De passar perto do teu lugar sempre com o coração na mão, pronto pra te entregar.
Eu te penso na falta do que pensar.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Idéia quase brilhante

O ano novo já começou e que bom, alguns dias de sorte estão marcados na caderneta daquele que rege meu destino, esse finais sempre te forçam a uma reflexão de tudo que de repente passou a atormentar a tua vida, no meu caso estou na tentativa de um resgate forçado.

É só pela força da minha vontade mesmo, porque olha a quantidade de vezes que recebi a recusa... eu tenho os meus motivos pra ir atrás disso que já ficou algum tempo adormecido, estou gritando pra acordar um tempo que não vai voltar eu sei, a escolha te reinserir na minha vida parece boba e sem nexo nenhum pra você , mas pra mim tem um sentido tão valioso.

Eu quero ser tua amiga sem ironia e sem o duplo sentido que isso possa ter, das coisas que deram errado a gente pudesse fazer de um modo totalmente fora do convencional dar certo, infelizmente não tenho mapa de como podemos andar por esse caminho, que caminhássemos com naturalidade e se pra isso eu tenha que esquecer o que veio antes eu esqueço.

A idéia sempre foi essa meu amigo.