Sobre meu ser...

"Quando lhe faltar razão, que enfim fale o coração".
(Hélio Flanders)

domingo, 28 de dezembro de 2014

-

Eu tenho tanto a dizer sobre o que foi e o que não foi durante o fatídico 2014, que em um só post jamais seria suficiente, e a teoria do "o que não te mata te deixa mais forte" é só mais uma das mentiras que dizem por aí...Não vou pontuar todos os detalhes, mas saber que ainda faltam três dias pro ano zerar, pra roda girar mais uma vez, pra gente fazer planos, e renovar as esperanças de que tudo vai ficar bem só tem o poder de me fazer ficar com o pé atrás - E se nada mudar?
Eu vou ser a primeira a querer pular do expresso 2015 sem escalas pra lugar nenhum. Há muito o nó na garganta era a sensação do momento, a tendência pro inverno piauiense que nunca vem, tirei do armário a falta de amor próprio, fiz vítimas, fechei a cara e o coração, tá tudo tão abarrotado no pequeno espaço que de vez em quando tudo ganha vida e sai sozinho, sem consulta ou bilhetinho de aviso na geladeira.Eu saí de mim pra passear e ficou dentro do meu corpo o medo de me atirar e até aquilo que devia ser normal enquanto  humana que sou, eu desaprendi regras essenciais de viver bem comigo mesma.
Da biblioteca de sensações ainda  existe o único exemplar a ser lido com a frequência a ser ditada pela saudade, em nome das lembranças que nunca foram vividas, da expectativa que o tempo pudesse trazer o final esperado, será que dava pra todos nós sermos felizes? Ninguém sabe... e na dúvida colocaremos mais reticências...