Sobre meu ser...

"Quando lhe faltar razão, que enfim fale o coração".
(Hélio Flanders)

sábado, 27 de junho de 2015

-

Tem horas que é como se eu não existisse, vejo fotos, ouço relatos, alguém me chama no portão da frente de casa, ouço um nome, meu nome, preciso de provas que certifiquem minha existência nesse mundo.
A memória traz a tona uns momentos que me deixam cada vez mais confusa, será se realmente era eu ali? Os questionamentos, vários deles me assombram, me perseguem aonde quer que eu vá.
Minha cabeça traça um mapa de acontecimentos todos eles interligados por um ponto que eu mal consigo identificar, as coordenadas do trajeto seguem intactos na minha lembrança, meus pés sabem o caminho de cor, mas talvez eu nunca mais volte naqueles lugares.
Se eu sinto qualquer coisa dentro de mim não consigo dar nome, tudo foi remexido demais, eu desaprendi uma série de coisas, devo estar sob efeito de alguma droga bem forte, é da boa, não sinto nada.



terça-feira, 23 de junho de 2015

-

Tem um nó na garganta, tem um coração que parou de bater, tem lágrimas a serem adestradas e parece que agora, nesse exato momento, eu poderia entrar em um sono profundo que pudesse apagar tudo da minha memória, quando despertasse, pudesse ser eu de novo, refeita. Estou com tanta pressa de superar essa "fase" que nem me preocupo de atropelar a mim mesma na tentativa.


terça-feira, 16 de junho de 2015

-

*

A cabeça sabe, mas quem vai se encarregar de dar a má notícia pro coração?




Ouvir: De Tanto Amor - Roberto Carlos.

sábado, 13 de junho de 2015

-

*

A menina de tanto beber saudade, morreu de overdose.

*


quarta-feira, 3 de junho de 2015

-

*

Queria viajar pros teus braços.

 *