Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2012

-

Eu te penso Em todo o final do dia,  do mês, do ano.


-

Mas talvez também nem seja amor Vai ver é muito apego Ao que tu provoca em mim.


-

Te amei de véspera e no primeiro olhar a novidade já era uma velha conhecida dos meus sonhos. Te invento, te escrevo e assim sigo te amando.


3 anos...

23.12.12



Palavras nunca antes pronunciadas com dedicatórias que não chegam ao fim ... mantendo o olhar fixo, mantendo o foco em uma pessoa, mas enfim a vida é assim. Cansei de contar os pontos finais dessa história, vez ou outra ela ganha um capítulo novo, porém o enredo continua intacto. Eu aqui e você aí no teu planeta, na tua vida da qual eu nunca ponho meus pés. Mas você me visita e me lê, percebe todo o meu Olhar Particular.






-

E todos esses anos de saudade, de textos e telefonemas sem retorno caberiam muito bem em uma única frase: VAMOS VOLTAR.





-

Há essa altura já nem sei diferenciar o que é melhor ou o que é pior, sou imune a todas as coisas.


-

Véspera do fim do mundo e a minha vontade é de sair correndo pra me abrigar nos teus braços.







-

Passou vários dias ensaiando, falando sozinha, e olho por olho só diria.

- Não quero nada que não venha de nós dois*.






*Ouvir: Só pra te mostrar - Herbert Vianna.

-

Hoje eu te vi no vapor do meu café da tarde Lembrei que é de você  Por quem eu vivo nessa saudade.


-

Mas, hey mãe por mais que a gente cresça  Há sempre alguma coisa que a gente  Não consegue entender (...)
Humberto Gessinger

De todo Dezembro.

Imagem
Penso, numa vacina contra meus devaneios de fim de ano, seria interessante caso estivesse disponível na medicina, é nessas horas que eu penso porque eu não fui ser médica meu Deus? Passei os dez primeiros dias Dezembro na melhor vibe “de boa na lagoa’’ que vocês possam imaginar, eis que se passou a primeira semana e essa é a fatal.
Fui baixando discos no último domingo, procurando naquelas letras sentimentos meus perdidos durante esse ano, ao fim dos downloads tinha uma trilha pra apreciar de olhos fechados e alguns lenços na mão, que a vida tá indo feito um sopro leve que não vai a lugar algum, permanece enraizados na nostalgia dos dias e de todo o efeito festivo que a temporada me sugere, de me atingir contraditoriamente - QUERO TUDO O QUE NÃO TENHO. Visto tédio, escuto reclamações, meu silêncio grita tanta besteira sem importância, e eu não movo nenhuma palha, da preguiça de levantar da cama mesmo sem ter conseguido pregar o olho durante a noite, vou acumulando poeira, uns amigos n…

A minha Regra da Física da Procura*

Olhe pros lados, mantenha o foco e não deixe nada passar despercebido, pense nas possibilidades, mas não gaste anos da sua vida ainda pensando, as coisas passam e se renovam muito rápido, perder o bonde está fora de cogitação. 



*Do livro Comer, Rezar e Amar - Elizabeth Gilbert.